quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

Município de Melgaço recebe ação integrada do governo

Uma ação integrada vai reunir diversos órgãos estaduais nesta quinta-feira, 4, durante o projeto “Abraçando Melgaço”, criado por um grupo de empresários mobilizados em torno do Pacto pela Educação no Pará, voltado à melhoria da educação no município.

A programação inicia às 9h, no Spazzio Show, e inclui várias atividades realizadas pelas entidades parceiras, como o Núcleo de Articulação e Cidadania (NAC), Secretaria de Educação (Seduc), Companhia de Habitação (Cohab), Imprensa Oficial do Estado (IOE), Grupamento Fluvial de Segurança Pública (GFLU) e Prefeitura de Melgaço.

Na ocasião serão entregues cerca de 1.500 kits escolares para alunos das 50 escolas municipais das áreas rural e urbana, doados pela empresa Hydro. O material foi arrecadado durante o show da banda A-HA, ocorrido no município de Barcarena, no ano passado.

Serão também entregues certificados para 155 merendeiras das escolas que participaram dos três cursos realizados pela Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Pará (Emater) e distribuídos 700 livros paradidáticos sobre cidadania, doados pela Editora Paulus ao Centro de Referência de Assistência Social do município.

Além desses exemplares, a Imprensa Oficial do Estado fará a entrega de cerca de dois mil livros infantis, infanto-juvenis e paradidáticos, doados por meio do Projeto Livro Solidário, com a finalidade de fortalecer as bibliotecas e espaços de leitura das escolas.

O presidente da Imprensa Oficial do Estado, Cláudio Rocha, disse que a participação da IOE nessa ação vem ao encontro do objetivo do projeto, que é estimular a leitura, principalmente entre as crianças. “Que os livros doados possam, realmente, contribuir para melhorar a vida de cada um”, externou.

Desde 2011 até hoje, já foram arrecadados cerca de 16 mil livros por meio do projeto, material esse que têm contribuído para equipar as bibliotecas escolares e outros espaços de leitura.
Para a diretora geral do NAC, Daniele Khayat, a ação em Melgaço representa um esforço conjunto de todos os organismos estaduais e municipais no sentido de colaborar com o desenvolvimento social do município, com serviços de cidadania e educação.

“Acreditamos que essa união só tem resultado prático se todos, governos e cidadãos, além da boa vontade e desejo de melhoria, somem suas expertises e exercitem a cidadania em todos os níveis. Esse é o sentido desta ação integrada”, conclui.

Ronaldo Quadros
Imprensa Oficial do Estado

quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

Projeto Mundiar recebe livros doados pelo projeto Livro Solidário

A Imprensa Oficial do Estado (IOE) por meio do projeto de incentivo à leitura Livro Solidário entregou nesta quinta-feira, 21, cerca de 200 livros de interesse geral para o projeto Mundiar que funciona na Escola Estadual Ruth Rosita, no bairro do Guamá.  Alunos e professores receberam o acervo que, segundo a coordenadora do projeto, Vilcilene de Jesus Duarte, vai servir de apoio às aulas de vídeo ministradas para os alunos com defasagem de ano/série.

A coordenadora explicou que o projeto Mundiar é desenvolvido pela Secretaria de Estado de Educação (Seduc) em parceria com a Fundação Roberto Marinho, e atende a estudantes do Ensino Fundamental Maior e do Ensino Médio. “Aqui na escola o projeto oferta aceleração para alunos de 13 a 14 anos, que devem concluir o ensino fundamental em dois anos. Eles têm um professor por turma e funciona com vídeo-aulas”, explicou Duarte.


A escola Ruth Rosita, segundo a coordenadora do Mundiar, há muito tempo acalanta a ideia de criar um “cantinho” da leitura para atender a alunos e professores, “e agora, com as doações da IOE, será um bom momento para colocarmos em prática, já que toda sexta-feira temos aulas de arte na escola”, contou, entusiasmada, Vilcilene de Jesus Duarte.

Ela louvou a iniciativa do governo do Estado, por meio da IOE, de criar um projeto de incentivo à leitura. “É um grande desafio trazer o hábito da leitura para o dia a dia dos alunos, já que hoje eles têm o celular como principal fonte de informação, mas não podemos desanimar”, ponderou.

A coordenadora do projeto, Carmen Palheta, contou que as entregas de livros para projetos como o Mundiar só são possíveis com o apoio da população, que continua doando livros novos e usados.

O Projeto - Criado em 2003, na primeira gestão do governador Simão Jatene e retomado em 2011, desde então o projeto vem estimulando a leitura em várias comunidades e escolas da Região Metropolitana de Belém, o que já resultou na implantação de seis Espaços de Leitura e doação de aproximadamente 16.000 livros para mais de 40 instituições.

Serviço: As doações de livros para o projeto podem ser feitas diretamente na sede Imprensa Oficial do Estado, localizada na Travessa do Chaco, 2271, no Bairro do Marco, ou pelo telefone: 4009.7847.

Texto: Ronaldo Quadros
Ascom/Imprensa Oficial do Estado

sexta-feira, 8 de janeiro de 2016

Imprensa Oficial doa livros para projeto de formação de leitores da UFPA

A Imprensa Oficial do Estado (IOE), por meio do projeto de incentivo à leitura Livro Solidário, doou nesta sexta-feira, 8, cerca de 100 livros de temática amazônica para o Grupo de Estudos Literários da Amazônia e Formação do Leitor (Gelafol), ligado ao Instituto de Ciências da Educação (ICED), da Universidade Federal do Pará (UFPA).
O coordenador do Gelafol, professor Nilo Souza esteve na sede do projeto e recebeu os exemplares que, segundo ele, vão compor o acervo que será usado na formação de contadores de histórias, por meio de leituras dramatizadas nas escolas públicas. “A gente precisa ter um cervo que aborde esse contexto amazônico, e esses livros vão contribuir com a formação desses alunos”, explicou.
Nilo Souza parabenizou a iniciativa da IOE de manter um projeto de incentivo à leitura. “Eu sempre penso que o livro tem que circular. Livro nas estantes, guardando poeira, não tem uma funcionalidade, não transforma, e o Livro Solidário é uma das vias que fazem o livro chegar até quem precisa”, aduziu.
O Projeto - Criado em 2003, na primeira gestão do governador Simão Jatene e retomado em 2011, desde então o projeto vem estimulando a leitura em várias comunidades e escolas da Região Metropolitana de Belém, o que já resultou na implantação de seis Espaços de Leitura e doação de aproximadamente 16.000 livros para mais de 40 instituições.
Ao todo, o Livro Solidário já implantou seis espaços de leitura, localizados na Escola de Regime de Convênio Associação Cristã do Bengui; Unidade Benevides da Fundação de Atendimento Socioeducativo do Pará (Fasepa); Grupamento do Corpo de Bombeiros de Ananindeua (Projeto Escola da Vida); ONG Viva Mosqueiro e dois espaços na Instituição Assistencial Espírita Lar de Maria. Também foi implantado um Espaço de Leitura na Escola Estadual Mário Barbosa, na Terra Firme, em parceria com o projeto Pro Paz Escola.
Serviço: As doações de livros para o projeto podem ser feitas diretamente na sede imprensa oficial do estado, localizada na Travessa do Chaco, 2271, no Bairro do Marco, ou pelo telefone: 40097847.

terça-feira, 29 de dezembro de 2015

Com 16 mil doações, Imprensa Oficial consolida projeto Livro Solidário em 2015

A Imprensa Oficial do Estado encerra o ano de 2015 com cerca de 16 mil doações de livros realizadas por meio do projeto Livro Solidário. Criado em 2003 e desde 2011 coordenado pela IOE e pelo Núcleo de Articulação e Cidadania, o projeto se consolida como incentivador da leitura em vários espaços da Região Metropolitana de Belém e também no interior do Estado. “Neste ano, com a massificação do projeto pela mídia, além de ações como o Sarau do Livro Solidário, conseguimos chegar a lugares como a ilha do Marajó, a região nordeste do Estado e comunidades remanescentes de quilombolas”, avalia a coordenadora do projeto, Carmen Palheta.
Para 2016, as perspectivas são de criação de novos Espaços de Leitura em escolas, nos Polos ProPaz nos Bairros, na Fundação de Atendimento Socioeducativo do Pará (Fasepa), através do Centro Feminino, Associação dos Remanescentes de Quilombolas de Itaboca, Cacoal e Quatro Bocas, no município de Inhangapí, em Outeiro e na região das ilhas.
Palheta reforça que ao longo de 2015, o projeto realizou diversas ações, tais como a finalização da reforma e padronização do Espaço de Leitura que funciona na Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Mário Barbosa, localizada no Bairro da Terra Firme; auxiliou projetos de leitura e educação em 44 instituições, e criou o Sarau  do Livro Solidário, quando cinco instituições apresentaram programações envolvendo seus alunos, crianças e adolescentes em diversas atividades artísticas.
“O resultado foi surpreendente e será conhecido na próxima Feira Pan Amazônica do Livro, com o lançamento da publicação Baú do Sarau que reúne as produções desse público durante os eventos”, completou Palheta. Ela ressaltou, também, as parcerias com a população e instituições que doaram livros por meio da campanha permanente desenvolvida pela Imprensa Oficial; e da parceria com a Cultura Rede de Comunicação por meio da Campanha ‘Dê liberdade aos seus livros!’.


“Essa parceria rendeu muitas doações da sociedade em geral, o que nos possibilitou atender as demandas de pedidos de livros para os mais diversos segmentos da sociedade”, cita a técnica do projeto, Lucila Girão. Ela destacou também a participação do Livro Solidário em diversas feiras que aconteceram ao longo de 2015, como a Feira do Artesanato Mundial; a Expô Eventos; a do Chocolate e Flor Pará; a Feira Pará Negócios, além do Salão do Livro em Santarém e o Projeto Circular Campina-Cidade Velha, entre outros, o que, segundo Girão, rendeu mais visibilidade ao projeto.

Texto: Ronaldo Quadros
Ascom - Imprensa Oficial do Estado

segunda-feira, 5 de outubro de 2015

Imprensa Oficial auxilia projetos do TJPA e Fórum Landi

A Imprensa Oficial do Estado (IOE) entregou na quinta-feira, 1, cerca de 500 livros para a Campanha de Doação de Livros Infantis do Tribunal de Justiça do Estado do Pará (TJPA), e para o Fórum Landi - projeto dedicado à revitalização do Centro Histórico de Belém, com foco na pesquisa da obra arquitetônica de Antônio Landi, no bairro da Cidade Velha.

As entregas foram realizadas pelas técnicas do projeto Livro Solidário de incentivo à leitura, coordenado pela IOE e ligado ao NAC (Núcleo de Articulação e Cidadania do governo do Estado). Para o TJE foram doados 100 livros nas categorias infantil, infanto-juvenil e didáticos novos, frutos de doações recebidas pela Imprensa.
Os livros foram entregues à diretora do Departamento de Documentação e Informação do TJPA, Pollyana Pires, que em nome do TJE, agradeceu a contribuição informando que o material será muito bem aproveitado por professores e alunos da Unidade Pedagógica do Aurá, alvo da campanha do tribunal. O TJE irá fazer a entrega no dia 6 de outubro, durante programação voltada ao Dia das Crianças.

Obras raras - Para o Fórum Landi foram destinadas cerca de 400 obras raras e de história da arte, também fruto de doações da população. A secretária do Fórum Landi, Inês Diniz, informou que o material vai reforçar o acervo da biblioteca da entidade que, segundo ela, é muito procurada por estudantes e pesquisadores ligados ao estudo da história e arquitetura.
A técnica do Livro Solidário, Lucila Girão, informou o motivo das doações para essas entidades: “Nós estamos recebendo muito material doado pela população, o que só temos a agradecer e muitos desses livros não se encaixam no perfil dos nossos Espaços de Leitura; assim podemos ajudar outros projetos que também, de outras maneiras, incentivam a leitura nos mais diversos segmentos sociais”, pontuou.

 
Lucila Girão acrescentou que a Imprensa Oficial do Estado está expandindo as ações do projeto Livro Solidário. Os próximos locais que deverão receber Espaços de Leitura são a Vila da Barca, em Belém, e a comunidade quilombola do Abacatal, em Ananindeua.

Texto: Ronaldo Quadros
Fotos: Ascom/TJPA
 



 

Imprensa Oficial doa livros para grupo de contadores de história

O projeto Livro Solidário, coordenado pela Imprensa Oficial e ligado ao Núcleo de Articulação e Cidadania (NAC), do governo do Estado, entregou, na sexta-feira (2), duzentos livros para o Ayvu Rapyta - grupo cultural de contadores de histórias formado por educadores, estudantes e profissionais da área da saúde.

Com a entrega, o projeto ganhou mais um parceiro para as ações de leitura que vem desenvolvendo, uma vez que o grupo atua em diversos espaços como escolas, bibliotecas, hospitais, universidades e praças com o objetivo de incentivar a leitura, levando a palavra literária através de histórias e poesias.


Paulo Demétrio, integrante do Ayvu Rapyta, conta que conheceu o projeto Livro Solidário depois de participar do Sarau do Livro, na escola Mário Barbosa, em junho deste ano. “Houve uma grande festa da leitura na escola, organizada pela Imprensa Oficial e Secretaria de Cultura e nós, como grupo de contadores de histórias, tivemos a alegria de participar dessa festa junto com os alunos”, conta.
“Essa é uma via de mão dupla, já que tanto o projeto quanto o grupo possuem um objetivo em comum que é estimular a leitura e a sociedade ganha mais ainda, já que podemos unir talentos e, principalmente, boa vontade”, comenta a técnica do projeto,  Lucila Girão.

A próxima atuação do ‘Ayvu’ - para a qual o projeto colaborou com a doação de livros - foi dia 4 de outubro, no Jardim Botânico Bosque Rodrigues Alves. Houve uma roda de histórias para festejar o Dia das Crianças, com a presença de vários contadores de histórias da cidade, entre eles, os escritores Juraci Siqueira e Alcir Santos.

“Vivemos um momento em que a leitura é um nó na educação brasileira; sabemos isso pelos números divulgados pelas pesquisas realizadas em nosso país, pois há uma precarização muito grande na educação brasileira; então, ações como a do Livro Solidário prestam um grande serviço à formação de leitores de um modo geral e acredito que outras instituições deveriam seguir esse lindo exemplo da Imprensa Oficial do Estado”.

Para Lucila Girão, “a participação do grupo é maravilhosa porque ele é composto por profissionais de diversas áreas e é muito gratificante quando encontramos pessoas entusiasmadas em contar historias e, o melhor, voluntariamente”. E conclui: “Isso nos renova e renova, inclusive, nossa forma de trabalhar e reforçar nosso projeto com parcerias como essa”.

Texto: Vanize Soeiro